COLUNA – DANI SALOMÃO | Assassino da jornalista Evelyne Ogawa, que estava foragido, se entrega à policia

0
70

No final desta tarde, Vinícius, acompanhado de advogados, se apresentou às autoridades policiais que investiga o caso. Ele já está em cana.

O advogado Rubens dos Santos Pires, apresentou na tarde desta segunda-feira Vinícius Fernando da Silva Camargo, de 31 anos, que confessou ter matado a jornalista e radialista Evelyne Ogawa, com quem vivia ha três anos.

O crime aconteceu na noite da última sexta-feira.
No dia seguinte ele  foi a delegacia de polícia de Samambaia e confessou o crime voluntariamente. Ganhou a liberdade em seguida.

No entanto, a Justiça do DF decretou a prisão preventiva dele e era considerado fugitivo. O caso está sendo tratado como feminicídio.

O carro da vítima, usado pelo criminoso para empreender a fuga, também foi localizado.

A radialista e jornalista Evelyne Ogawa dava sinais aos parentes e amigos que a sua relação com Vinícius Camargo, embora por medo, nunca ter falado pra ninguém, caminhava para uma tragédia

A jornalista e radialista Evelyne Ogawa, de 38 anos, deixa um filho de sete anos. A família e amigos seguem inconformados já que Vinícius Fernando da Silva Camargo, de 31 anos possuem um histórico de violência contra mulheres. Após ter assassinado a esposa, por enforcamento, ele se dirigiu no dia seguinte, acompanhado por um advogado, à 24ªDP de Samambaia, cidade satélite do  DF.

Lá ele confessou, com os mínimos detalhes,  o horrendo crime de feminicídio. O fato ocorreu na noite da última sexta-feira (26). Após o depoimento, o  assassino confesso foi liberado.

O crime que ocorreu dentro do  apartamento do casal, localizado em Samambaia, chocou a cidade. Conforme confessado na polícia, Vinícius Camargo matou a mulher por enforcamento após uma sequência de  agressões físicas.

Evelyne Ogawa foi enterrada no cemitério Campo da Esperança, nesta manhã de segunda-feira(29).

Frio e calculista:

Após o assassinato, Vinícius trancou o apartamento, ligou para a família da ex-mulher Eslândia Rodrigues, com quem tem duas filhas, pedindo para ver as meninas e falou do que havia ocorrido.

De acordo com os parágrafos 312 e 313 do Código Penal ele não poderia ficar preso a não ser que a autoridade policial pedisse a prisão preventiva a um  juiz.

Justificativa para mantê-lo preso havia de sobra na folha corrida do criminoso, caso assim a autoridade policial desejasse. Em maio de 2017 a estudante Eslândia Rodrigues, entrou para a triste e revoltante estatística de uma mulher agredida a cada sete minutos no país.

Ela foi vítima do então companheiro Vinícius Camargo com quem tem duas filhas. Eslândia foi  espancada brutalmente  em casa, em Planaltina e teve que ser hospitalizada por causa dos muitos hematomas pelo rosto. Na época, o caso foi registrado na 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina) e Vinícius foi enquadrado na Lei Maria da Penha que prever de três meses a três anos de cadeia, cujo processo está parado, como tantos outros.

Evelyne Ogawa trabalhava na rádio há sete anos  onde apresentada o progarma “Frequencia Federal”.

Fonte: RADARDF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui