Zoo de Brasília inaugura brete de treinamento para elefante

0
36

Equipamento ajudará nos cuidados veterinários sem a intervenção anestésica.

Com o objetivo de promover o bem-estar e a saúde dos animais sob seus cuidados, a Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB) agora conta com um brete de treinamento exclusivo para elefantes. Por meio do novo equipamento, construído sob as medidas dos elefantes da FJZB, é possível realizar procedimentos veterinários e análises clínicas sem a intervenção anestésica.

*Os treinamentos são realizados pelo Núcleo de Bem-Estar Animal, em conjunto com os cuidadores do setor, e ocorrem duas vezes por semana, com duração de aproximadamente 45 minutos | Fotos: Divulgação/Zoo Brasília.

Para isso, são realizados treinamentos duas vezes por semana por uma equipe híbrida, composta por biólogos, médicos veterinários e cuidadores de animais. Para que os animais atinjam o comportamento esperado pelo Núcleo de Bem-Estar Animal (NBEA), a técnica adotada é a condicionamento operante com reforço positivo.

“Além de tornar o treinamento mais seguro, tanto para nós quanto para os animais, o brete nos dá muitas possibilidades de desenvolver inúmeras tarefas com os elefantes”Marisa Carvalho, bióloga e chefe do Núcleo de Bem-Estar Animal

Toda vez que o animal realiza o movimento solicitado, como dar a pata para os cuidados de suas unhas ou a orelha para facilitar a colheita de sangue, uma recompensa alimentar é fornecida. Caso o animal não o execute, não ocorre nenhuma punição. A bióloga e chefe do NBEA, Marisa Carvalho, explica a importância do brete e dos treinamentos na garantia da qualidade de vida do animal.

“Além de tornar o treinamento mais seguro, tanto para nós quanto para os animais, o brete nos dá muitas possibilidades de desenvolver inúmeras tarefas com os elefantes. O mais importante para nós é ter acesso às patas para fazermos todos os cuidados necessários. Aos poucos, estamos conseguindo ganhar a confiança dela”, explica, em relação à elefante Bela.

Além disso, o equipamento facilitará procedimentos veterinários, como colheita de sangue e exames preventivos. Por meio dos treinamentos, tais práticas ocorrerão de forma com que o próprio animal, de maneira cooperativa, permita que a equipe técnica se aproxime para a execução dos procedimentos.

*Toda vez que o animal realiza o movimento solicitado uma recompensa alimentar é fornecida.

“O nosso objetivo inicial é que o animal permita ficar perto da equipe de forma segura, sem medo. Depois, começamos o processo de dessensibilização, ou seja, de tirar o incômodo do animal, por meio da escovação e do toque. A orelha, por exemplo, é muito importante porque é onde se faz a colheita de sangue em elefantes”, detalha a bióloga.

Os treinamentos são realizados pelo NBEA, em conjunto com os cuidadores do setor, e ocorrem duas vezes por semana, com duração de aproximadamente 45 minutos. Por enquanto, somente a elefante Bela passa pelos treinamentos, mas a expectativa é que em breve o elefante Chocolate também comece com as atividades de condicionamento.

*Com informações da agência Brasília  / Zoo Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui