Comandante Luiz Fernando Rocha Monteiro: Entre suas asas no céu e os pés firmes na terra.

0
1800

A viação anfíbia tem seus méritos na história do nosso Brasil. Uma homenagem ao aviador e ao nosso legado.

Por: Eduardo Magregor/ Sérgio Loros. Acompanhem abaixo.

O incrível passaro que dominou o céu e os mares em umas das bases mais sólidas da nossa história.

O nosso principal comando na vida é a conquista, mais para conquistar algo você deva se preparar para receber a verdade absoluta e assim abraçar os elementos que iram traçar cada ponto chave na sua vida.

Assim temos a nossa frente pessoas que se destacam por sua sabedoria humana. Estas pessoas carregam dons que o tempo não mais poderá consumir.

Vamos reviver um pouco?

Quem seria o Comandante Luiz Fernando Rocha Monteiro.

– Comandante de Aviação Civil DAC- ANAC & FAA .
– Graduado em Ciências Aeronáuticas UCLA- USA, conclusão 1999.

Sacrifício, uma vocação perante a profissão de aviador.  Encarar o que se tem a frente com a certeza de obte-la nos torna mais fortes em nossas decisões, pois é exatamente através da dúvida que as maiores certezas lhe serão dadas.

*Imagem/ Luiz Fernando Rocha Monteiro e seu amigo Ozires Silva ( Foi Ministro da Infraestrutura, Ministro das Comunicações do Brasil e Presidente cofundador da Embraer ).

Outras fórmulas foram dadas com o passar do tempo. Quebrando barreiras, dedicando-se ao conjunto da obra seguindo a sua razão.  Podemos ressaltar que o vento não apenas afasta as coisas, mais também muito nos trás com ele.

*Imagem: Luiz Fernando Rocha Monteiro e o Brigadeiro Juniti Saito. O futuro é o reflexo do nosso passado.

É difícil imaginar o quão importante é o nosso passado e ele está aqui neste momento. A vivência é real e a história se mantem viva, cheia de sentimentos, dedicação e nobreza pelo que somos sem exitar. É um prazer ultrapassar as nuvens como um raio para realizar mais uma missão ao nosso país.

*Imagem: Luiz Fernando Rocha Monteiro e David Neelemam. (Pres. Azul Linhas aéreas).

Em minha vida o S.55 será lembrado para sempre.

Em nossa história Jahu é um hidroavião Savoia-Marchetti S.55 (versão C), o último de seu modelo no mundo. Destacou-se por ser a aeronave com a qual João Ribeiro de Barros, junto com o co-piloto João Negrão, o navegador Newton Braga e o mecânico Vasco Cinquini, fizeram a terceira travessia aérea do Atlântico Sul, a primeira da história sem escalas, em 1927.

Fazendo parte também da minha vida na viação anfíbia no Brasil. Abaixo o maior símbolo desta representação ao nosso país.

Jahu/hidroavião Savoia-Marchetti S.55.

” O destino é inexorável “

Diz: Luiz Fernando Rocha Monteiro.

HIDROAVIÃO JAHU NO MUSEU DA TAM

Um programa da Globosat, 'Aero – Por trás da Aviação', mostou os aviões que estão no museu da TAM, entre eles o 'nosso' Hidroavião Jahu, que é hidroavião Savoia-Marchetti S.55, o último de seu modelo no mundo. Destacou-se por ser a aeronave com o jauense João Ribeiro de Barros, realizando a primeira travessia aérea do Atlântico Sul da história sem escalas em 1927.

Publicado por Tem Coisas Que Só Acontecem Em Jaú-Sp em Quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

 

Luiz Fernando Rocha Monteiro/Saiu na imprensa.

 

Fonte: Blog Olhar Digital/Informando e Detonando.

Blog Olhar Digital, uma razão para escrever, uma ação para informar.