Deputado Júlio César se manifesta. NÃO a ideologia de gênero

0
628

Ideologia é uma palavra recheada de significados e complexidades dentro da área da Ciência Social. Isso se deve pelo acúmulo de contradições, equívocos e ambiguidades que cercam esse conceito tão importante para a sociedade.

Foi um pensador francês que fez o uso do termo pela primeira vez, dando a ele um significado bem simples de ser compreendido: estudo científico das ideias. O que acontece é que cada ideia é um resultado da interação entre os organismos vivos e a natureza.

O que é ideologia de gênero?

Essa discussão não é de hoje, muito embora o período eleitoral tenha dado um fogo maior para esse assunto tão polêmico. Gênero é um termo utilizado para designar a identidade sexual de uma pessoa, sendo que se classifica em masculino e feminino – algo determinado no momento de nascimento de cada indivíduo.

Entretanto, de acordo com quem defende a ideologia de gênero, isso não existe, isto é, ninguém nasce homem ou mulher, mas constrói sua própria identidade. É uma forma de nova filosofia da sexualidade, pois o gênero não teria qualquer relação com o sexo com o qual a criança nasceu.

A finalidade dessa ideologia é justamente transferir o direito de ensino de valores morais para as crianças, que anteriormente era uma função dos pais para o Estado, e, independentemente da opinião deles, haverá inclusão de ideias de que cada criança pode ser menina ou menino, sem levar em consideração o seu sexo biológico.

Agora, você deve ter percebido como o debate acerca da ideologia de gênero é forte e precisa ser seriamente analisado, não é?

Então não existe uma “ideologia de gênero” tal e qual tem sido falada. O termo tem sido usado pelos que se opõem à abordagem de gênero na Educação como se fosse uma “doutrinação” sexual que deturparia a concepção de homem e mulher e transformaria menino em menina e menina em menino.

NÃO A IDEOLOGIA DE GÊNERO: Deputado Federal Julio César Ribeiro declara sua opinião sobre o tema.

Mais uma vez nos deparamos com uma situação que vem ferir os valores das famílias do nosso país. O STF sinalizou que vai julgar no próximo dia 11 de novembro a ADI n. 5668, proposta pelo PSOL, que pretende implementar a obrigatoriedade do ensino de ideologia de gênero nas escolas brasileiras.

É inaceitável e mais uma vez reafirmo minha posição: Sou CONTRA qualquer julgamento favorável à ideologia de gênero nas escolas! Não iremos retroceder!

Fonte: Gestão Educacional/Blog Olhar Digital.