Por “custos inviáveis”, escolas privadas do DF apoiam decisão que desobriga testes em massa

0
407

Instituições defendem que exames sejam feitos apenas em funcionários que apresentarem algum sintoma do novo coronavírus

scolas particulares do Distrito Federal apoiaram a decisão judicial que regulou a testagem para Covid-19 de funcionários desses centros de ensino. Segundo a sentença, serão testados os trabalhadores com suspeita de contaminação ou que tiveram contato com pacientes infectados. Não haverá exames em massa.

A sentença da 6ª Vara do Trabalho de Brasília foi publicada no domingo (13/9). O protocolo determina que os trabalhadores e estudantes tenham temperaturas aferidas na entrada e saída das aulas.

Para as escolas, os custos de uma testagem geral seriam “inviáveis”. De acordo com Álvaro Domingues, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF (Sinepe-DF), a sentença da Justiça é “absolutamente científica, centrada em princípios médicos referenciados”.

Os funcionários que estiverem sintomáticos para Covid-19 deverão ser afastados imediatamente e submetidos a confirmação diagnóstica via RT-PCR. Os testes deverão ser custeados pelas próprias escolas até 31 de dezembro. Para decidir, o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) ouviu a opinião de especialistas na área da saúde. Esses classificaram, conforme sentença, o teste sorológico como “inútil” para constatação de pessoas contaminadas.

Nas escolas da rede Objetivo, a coordenação já busca contato com os funcionários para “mapear quem já teve Covid-19.

“Já havíamos feito uma testagem geral quando foi liberado aquele primeiro retorno, em julho. Agora, o custo do teste é muito elevado para isso. Vamos seguir o que foi determinado pela Justiça”, disse o diretor, Klisman Vercino.

Fonte: Metrópoles.