segunda-feira, junho 24, 2024
Banner publicidade
0
610

Deputado Distrital Eduardo Pedrosa. “Uma andorinha faz verão sim”.

 

A união não faz apenas a força, mais também a diferença.

O Deputado Distrital Eduardo Pedrosa apresentou um projeto que proíbe que o GDF faça cobrança das dívidas tributárias ( IPTU / IPVA ) e das não tributadas com muitas da AGEFIS, DETRAN enquanto durar a pandemia do coronavírus. Proibi também cobrança judicial no SPC e SERASA.

Seguem alguns esclarecimentos sobre o projeto de lei complementar que trata da suspensão da cobrança das dívidas do GDF no período de calamidade pública.

O projeto do deputado proíbe que o GDF inicie ou dê andamento a qualquer tipo de cobrança de pessoas físicas ou jurídicas quem lhe devam algum imposto, taxas ou multas por exemplo. É por isso que no texto consta dívidas tributárias (IPTU, IPVA, ICMS, ISS, ITBI, ITCD) e não tributárias (ex: multas da AGEFIS, DETRAN, DER, Taxa de alvará, etc.).

A proibição vigora enquanto estivermos em estado de calamidade pública. Neste período tudo fica mais difícil seja por falta de circulação de dinheiro na economia, seja por necessidade de as pessoas se manterem em isolamento, e também porque os órgãos públicos estão quase todos em regime de escala reduzida ou tele trabalho.

Seria desumano prosseguir com estas cobranças num momento em que todos devem direcionar seus esforços para preservar sua saúde e suas economias.

O GDF tem várias formas de cobrar suas dívidas:

  • Processo judicial que é chamada de execução fiscal judicial, feita no Tribunal de Justiça.
  • Cobrança extrajudicial. De maneira simples podemos dizer que seria a negativação do nome do devedor no SERASA, no SPC ou o protesto em cartório.
  • Cobrança administrativa que é quando a Secretaria de Fazenda do DF manda uma notificação, um boleto, para a casa do cidadão avisando do débito e dando prazo para pagar, e em geral já manda o código de barras.

Todas estas formas de cobrança ficam suspensas neste período.

Como a intenção é facilitar a vida do ‘cidadão do bem‘ no projeto o deputado fez uma exceção permitindo que as cobranças continuem contra aquelas pessoas ou empresas que sofreram condenação por algum tipo de crime contra o DF, como por exemplo quem foi condenado por improbidade.

Diz o velho sábio, que uma andorinha faz verão sim.

“ Olhar Digital, uma razão para escrever, uma ação para informar.”

Fonte: Informando e Detonando / Olhar Digital. 

Artigo anterior
Próximo artigo
Eduardo Magregor
Criado por Eduardo Magregor jornalista, escritor, desenvolvedor de leis e projetos. O OLHAR DIGITAL- Blog digital popular é um veículo de informação sociocultural que esta ingressado no segmento de comunicação para fazer a diferença! O blog reuni com exatidão conteúdos de cunho suscetível, destinado a comunicar ou notícia com seriedade assuntos adjuntos ao nosso Governo no que se desfere em melhorias e benefícios. Dentre o proferido incluem-se matérias especiais, entrevistas e artigos das maiores autoridades, cases de empresas inovadoras, em suma, ter como finalidade levar ao conhecimento do público a expressão fiel dos fatos e a soma do bem atribuído à nossa sociedade.