TOP FIVE: as fake news mais absurdas já checadas sobre o coronavírus no mundo

0
787

A pandemia do coronavírus tem sido o principal alvo de fake news no mundo. Uma rede internacional tem lutado para desmentir essas notícias falsas. A iniciativa já desmentiu mais de 7.100 boatos. Os três países com mais fake news verificadas são Índia, Estados Unidos e Brasil.

As mais surreais vão de beber xixi de vaca ao bebê que mandou comer ovos.

A divulgação de notícias falsas é um problema sério no Brasil e no mundo já há alguns anos. Tal como o coronavírus, esse tipo de conteúdo espalhou-se pelo mundo em 2020, tendo a pandemia como principal alvo. Não é à toa que a OMS (Organização Mundial da Saúde) vem tratando o problema como uma “infodemia”, uma verdadeira epidemia de desinformação.

TOP ONE: O caso do “primo do porteiro aqui do prédio

“Gente! O primo do porteiro aqui do prédio morreu pq foi trocar o pneu do caminhão e o pneu estourou no rosto dele. Receberam o atestado de óbito como se fosse a covid-19. Eles estão indignados”

TOP TWO: Quarentena em bordel

Também de um site satírico, desta vez da Espanha, surgiu a informação que 86 pessoas teriam que cumprir a quarentena em um bordel de Valência após uma garota de programa ter resultado positivo no teste para coronavírus. A “notícia” atravessou o Atlântico e viralizou também no Brasil. Por aqui, o jornalista e humorista José Simão chegou a citar a suposta quarentena em seu comentário diário na Rádio Band News.

Veja também:

” Herdeiro impetrou ação para retirar casal do barulho de mansão no Lago Sul.”

https://blogolhardigital.com.br/2020/09/20/herdeiro-impetrou-acao-para-retirar-casal-do-barulho-de-mansao-no-lago-sul/
TOP THREE: Churrasquinho melhor que vacina

Em fevereiro, circulou pelas redes sociais da França a publicação de uma página sobre agricultura que afirmava que consumidores de carne bovina seriam imunes ao novo coronavírus. Além disso, o texto também dizia que o vírus se espalhou com rapidez pela China justamente pelo baixo consumo de carne entre a população. A França é o sexto país do mundo em quantidade de fake news checadas. Foram 309 até o começo de agosto.

TOP FOUR: O bebê mandou comer ovos

Nas Filipinas, um vídeo que alcançou a marca de mais de 1,4 milhão de visualizações apresentava o relato de uma mulher contando que um bebê recém-nascido havia falado que comer ovos cozidos era a cura para o covid.

TOP FIVE: Secador de cabelo destrói o coronavírus

No México, circulou a informação de que secadores de cabelo poderiam ser usados como prevenção ao covid-19. Isso porque, segundo o médico do vídeo, o novo coronavírus poderia ser destruído ao ser exposto a uma temperatura superior aos 56ºC. Ele recomendava colocar o secador em direção ao nariz pelo menos cinco vezes ao dia. O médico também dava a opção de lavar o rosto com água fervente. As informações foram desmentidas pelas secretarias de saúde locais.

Fonte: Tilt UOL.