Sustentabilidade: usina fotovoltaica gera economia de R$ 300 mil à CLDF

0
542
Câmara vai instalar painéis para a população acompanhar a geração de energia limpa e começou estudos para ampliar número de placas.

Projeto piloto da usina de energia fotovoltaica vai proporcionar economia de R$ 300 mil por ano para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). A média de gasto anual da Casa com energia elétrica é de R$ 2 milhões. Ou seja, a inovação representa uma poupança de 15% ao Legislativo.

Dentro dos próximos dias, a Câmara irá instalar dois painéis mostrando a geração de energia da usina. Para o 2º secretário, deputado Robério Negreiros (PSD), o Legislativo local trabalha ser exemplo de sustentabilidade.

“Um dos painéis ficará exposto na entrada da Câmara. O outro na recepção da Presidência da Casa. Ambos mostrando a geração e a economia em tempo real à população”, contou.

LEIA MAIS:

CLDF vai divulgar trâmite de projetos em tempo real e zerar gasto de papel.

“Cara nunca saiu do apartamento e me critica sobre Amazônia”, diz Jair Bolsonaro

TCU

Aderindo a uma ata de registro de preço do Tribunal de Contas da União (TCU), a Casa investiu aproximadamente, R$ 500 mil na construção da usina. O contrato foi assinado na gestão do ex-presidente da CLDF, Joe Valle (PDT).

“A Casa entrou na era da energia limpa. A economia vai se reverter para a Câmara. Sendo pessimista, esse investimento volta em 5 anos. Eu acho que será em 3 anos”, ponderou Negreiros.

A Câmara empregou apenas um terço da capacidade máxima de implantação da tecnologia.

Carros elétricos

Segundo Negreiros, a Casa estuda desdobrar o projeto da usina, com a criação de um posto de abastecimento para carros elétricos. A ideia e compartilhar o benefício com a população, construindo o ponto na área externa da CLDF.

Nas palavras do atual presidente da Câmara, Rafael Prudente (MDB), a usina garante energia para o auditório e o plenário do Parlamento distrital. assim, essas áreas tornam-se autossustentáveis.

Por outro lado, Prudente lembra que a partir de abril houve a suspensão das atividades presenciais por conta do distanciamento social necessário para conter a pandemia do novo coronavírus. E com a implantação do teletrabalho, naturalmente, houve uma queda natural da conta luz da Casa. Mesmo assim, os resultados da instalação das placas fotovoltaicas, para Prudente foram animadores.

“Nossa preocupação é ter uma Casa transparente e sustentável”, assinalou. A Câmara colocou em marcha um estudo para avaliar a possibilidade de ampliação da usina. Na avaliação do parlamentar, a CLDF tem condições de ser 100% sustentável dentro de 5 anos.

Veja os gastos com energia elétrica da CLDF (R$):

Média mensal 2019: 200.596,24
Média março a setembro de 2019: 199.730,02
Média março a setembro de 2020: 129.466,26
Economia média de 35,46% em relação a média anual de 2019.

Com a pandemia, a Casa também diminui a despesa com água (R$). Confira:

Média mensal 2019: 21.147,36
Média março a setembro de 2019: 22.376,19
Média março a setembro de 2020: 11.918,69
Economia média de 43,64% em relação a média anual de 2019

Do ponto de vista do vice-presidente da Casa, Rodrigo Delmasso (Republicanos), a usina representa economia para os cofres públicos e coloca o prédio da CLDF no caminho da sustentabilidade.

Fonte: Metrópoles.